Telemedicina e Coronavírus

telemedicina coronavírus

Segundo a portaria publicada hoje, 23/03/2020, é regulamentada de forma excepcional e temporária a telemedicina para enfrentamento da epidemia de COVID-19.

Veja como a telemedicina pode ser uma aliada, como era a prática no país e como vai ficar.

A importância da telemedicina

A telemedicina, assim como as diversas tecnologias que nos rodeiam, vieram para auxiliar o trabalho do médico, com intuito de facilitar o cuidado com a saúde.

Um exemplo disso é como a maioria dos casos hoje atendidos na atenção primária poderiam ser resolvidos com a telemedicina. Isso porque a facilidade do acesso é um fator importante para redução de filas, custos e tempo para que o paciente tenha esse atendimento.

Falando especialmente do atual momento de pandemia contra o coronavírus, o uso da telemedicina pode guiar a grande maioria dos casos suspeitos que chegam ao hospital, evitando o risco de contaminação por parte do paciente que chega a um posto de atendimento tendo que dividir espaço com outros que de fato estão infectados, ou então – caso infectado – passe para outros que estão saudáveis.

Somado a isso, não podemos esquecer da proteção para o profissional de saúde, pois com o aparato digital não se tem a exposição deste.

Como era

Até o momento da portaria, a prática permitida era somente a teleorientação e a teleeducação do profissional médico com o paciente ou com outro profissional.

Usando uma plataforma, o paciente entrava em contato com o profissional e recebia algumas orientações, sem isso ter qualquer poder direto sobre receita ou encaminhamento, sendo apenas uma orientação do que fazer.

A mesma situação acontecia entre profissionais (a teleeducação), que usando também uma determinada plataforma, discutiam alguns casos com o intuito de se obter uma segunda opinião em alguns casos.

Como será atualmente

Somado com o que já era feito, houve o ganho da teleconsulta, que permitirá o acompanhamento, diagnóstico e emissão de receitas e atestados sem necessidade de um atendimento presencial. Isso será possível com o uso de alguma plataforma de tecnologia e funcionará tanto em âmbito do SUS como iniciativa privada.

Essa plataforma necessita seguir modelos que garantam a integridade, segurança e o sigilo das informações do atendimento, com o prontuário tendo que apresentar data, dia, dados do paciente, do médico e da consulta.

Ou seja, vai existir um controle de como vai ser feita, não podendo ser feita de qualquer maneira ou meio. Tal prática entra em vigor hoje, dia 23/03, sem datas para fim, sendo recomendado o seu uso especialmente para casos suspeitos de COVID-19.

Para mais detalhes, nós disponibilizamos um link com acesso a portaria emitida no Diário Oficial da União.
O link é http://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-467-de-20-de-marco-de-2020-249312996

Texto por: Sávio Batista, estudante de Medicina e estagiário da Conexa. Com base em:

Referências:

http://www.in.gov.br/web/dou/-/portaria-n-467-de-20-de-marco-de-2020-249312996
http://portal.cfm.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=28636:2020-
03-19-23-35-42&catid=3
https://jc.ne10.uol.com.br/brasil/2020/03/5603044-telemedicina-e-liberada-no-brasil-e-p
ode-contribuir-no-combate-ao-coronavirus.html
https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32160451/

Compartilhe:

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

conexa saude cta

Nos acompanhe nas redes sociais!

Assuntos do blog

Receba quinzenalmente os melhores conteúdos sobre bem-estar corporativo.

Assine nossa newsletter e tenha acesso aos nossos conteúdos exclusivos!

    Outros posts que você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e acesse o melhor conteúdo sobre bem-estar corporativo!

      Saúde digital, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

      A Conexa Saúde é uma solução completa para a saúde digital da sua empresa, que mostra que bem-estar corporativo pode ser acessível e estratégico. Fale com a gente!