Telemedicina: aplicação, benefícios e seu papel

telemedicina

Há cerca de 40 anos, as tecnologias de comunicação estão em constantes evoluções para proporcionar melhorias à saúde. O berço da telemedicina é nos Estados Unidos, onde sua prática está diariamente em crescimento.

Quer saber como essa tecnologia funciona? Então, não perca nossas informações!

Aplicação

A sua aplicação inclui:

  • monitorização remota dos sinais vitais;
  • transmissão de imagens para interpretação diagnóstica e confecção de laudos de exames radiológicos/ anatomopatológicos/ cardiológicos à distância;
  • consultas de pacientes via teleconferência;
  • educação médica continuada;
  • portais de informação voltados ao paciente;
  • aplicativos para dispositivos sem fio com informações médicas de consulta rápida;
  • assessoria a distância por médico especialista ao médico generalista em contato com o paciente;
  • coleta de dados para pesquisa clínica.

Os 3 principais benefícios

 Facilidade de acesso

Com a telemedicina há maior difusão de informações médicas, tanto para troca de dúvidas entre pacientes e médicos, quanto entre médicos assistentes e especialistas. 

Além disso, facilita o acesso à saúde adequada em áreas remotas, sem a necessidade de deslocamento do paciente ou profissional.

Redução de custos

A redução do tempo em deslocamentos, otimiza o tempo dos profissionais, melhora o atendimento ao paciente e reduz os custos

Com a melhoria dos atendimentos e monitoramento dos pacientes à distância,  reduz as internações desnecessárias e de alto custo e reduz o tempo de internação. 

Outro benefício é a oportunidade da telemedicina em facilitar o acesso à uma segunda opinião, fortalecendo maior assertividade nas condutas diagnósticas e terapêuticas e consequentemente reduz os gastos com exames complementares evitáveis, tratamentos dispendiosos e reduz os desperdícios do sistema de saúde.  

Maior comodidade ao paciente

Dessa forma, a telemedicina favorece a otimização do tempo gasto em deslocamentos, gera maior comodidade e tranquilidade para o paciente.

Além disso, reduz a ansiedade em relação às complicações de saúde e com profissionais em pronta reação para intervenção precoce. 

A prática da telemedicina

A telemedicina pode atuar na prática em 3 áreas como a Educação continuada em saúde, acesso às consultas e estreitar a assistência médica aos pacientes.

A educação continuada em saúde possui como objetivo principal a capacitação e atualização dos profissionais, utilizando os recursos de tecnologia de comunicação e informação como videoconferências.

Assim, permite a expansão do acesso às novas diretrizes, experiências clínicas de cada especialidade e fortalecimentos das informações baseadas em evidências da medicina.

Consultas e assistência

As consultas podem ser entre os médicos para a segunda opinião sobre algum diagnóstico. Esse procedimento deve ser realizado e os tratamentos possíveis com menores efeitos adversos possíveis. Essa prática pode funcionar de forma síncrona ou assíncrona, sendo esta de menor custo para o sistema e com resposta em até 48 horas.

Já a assistência é baseada no telemonitoramento do paciente pelo profissional à distância em associação com algum profissional da saúde presencialmente, para melhores trocas de informações e conhecimentos. 

As inovações tecnológicas, como a inteligência artificial, são recursos essenciais para a transmissão de dados e exames, com o objetivo de criar uma conduta compartilhada com outros profissionais experientes.

Outra questão do funcionamento da telemedicina são o sistema de nuvem. Tal sistema permite acesso aos dados, história clínica, exames já realizados e tratamentos já indicados. Assim, direciona de forma mais eficaz a conduta de cada paciente.

Papel da telemedicina como um suporte de diagnóstico e tratamento

A telemedicina possui papel muito importante nas emergências, principalmente as cardiológicas, como as condições agudas e ameaçadoras à vida. 

Nessas situações, torna-se fundamental o diagnóstico precoce e o tratamento mais rápido, para evitar as complicações.

Como exemplo da aplicação da telemedicina iremos citar o paciente com dor torácica. 

Esse paciente liga para o serviço de atendimento pré-hospitalar e uma ambulância com eletrocardiógrafo sem médico realiza o atendimento inicial. Após a realização do exame, o resultado é enviado para a Central de telecardiologia. Baseado na história clínica e interpretação eletrocardiográfica podemos sugerir o diagnóstico de Infarto Agudo do Miocárdio. 

A partir disso, a equipe é orientada por videoconferência pelo Cardiologista, para a administração precoce do tratamento básico modificadores da mortalidade, enquanto espera a resposta do hospital que possui a Intervenção coronariana percutânea podendo ser realizada em até 120 minutos. Caso contrário estaria indicado o tratamento com fibrinolítico. 

Todo esse protocolo sendo realizado em tempo real, de forma imediata e simultânea para redução do tempo de espera para intervenção precoce. Esse método reduz a mortalidade dos pacientes e melhora a qualidade de vida, por reduzir os riscos à saúde durantes as esperas por atendimento. 

Quer saber mais informações sobre o assunto? Então, entre em contato com a Conexa Saúde e saiba mais sobre o que é telemedicina.

Compartilhe:

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

conexa saude cta

Nos acompanhe nas redes sociais!

Assuntos do blog

Receba quinzenalmente os melhores conteúdos sobre bem-estar corporativo.

Assine nossa newsletter e tenha acesso aos nossos conteúdos exclusivos!

    Outros posts que você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e acesse o melhor conteúdo sobre bem-estar corporativo!

      Saúde digital, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

      A Conexa Saúde é uma solução completa para a saúde digital da sua empresa, que mostra que bem-estar corporativo pode ser acessível e estratégico. Fale com a gente!