Transtorno Esquizoafetivo: Causas, Sintomas e Tratamento

transtorno esquizoafetivo mulheres no escritorio

O transtorno esquizoafetivo é uma doença mental que se caracteriza por apresentar sintomas tanto da esquizofrenia quanto das alterações de humor. Contudo, esse transtorno não é comum.

Em geral, os transtornos esquizofrênicos afetam cerca de 0,6% da população. Logo, é estimado que as pessoas que sofrem de transtorno esquizoafetivo só correspondam à metade dessa porcentagem.

Pelo fato de não ser um transtorno comum, muitas pessoas desconhecem o transtorno esquizoafetivo, o que faz com que os indivíduos dificilmente conciliem os sintomas que estão sentindo com a doença, chegando a um diagnóstico.

Por este motivo, nós da Conexa Corporate vamos falar a respeito do transtorno esquizoafetivo para que você e outras pessoas possam conhecer melhor a doença e aprender a identificar seus sintomas e como tratá-la.

O que é o transtorno esquizoafetivo?

transtorno esquizoafetivo no trabalho

O transtorno esquizoafetivo é uma doença definida por uma evolução que combina sintomas afetivos e psicóticos significativos. O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM) define que a doença requer a presença de sintomas de esquizofrenia simultâneos a sintomas de humor (depressão ou mania), com duração considerável em um período de 1 mês.

Além disso, essa doença é classificado como do tipo maníaco, quando sintomas maníacos são proeminentes, ou do tipo depressivo, quando há a presença apenas da esquizofrenia e de sintomas depressivos.

Quem tem maior propensão a ter transtorno esquizoafetivo?

As pessoas que têm maior propensão a ter essa doença são as pessoas que possuem esquizofrenia e pessoas que têm parentes de primeiro grau com esquizofrenia, transtorno bipolar ou transtorno esquizoafetivo.

Além disso, a incidência do transtorno esquizoafetivo é mais alta no sexo feminino, principalmente devido a um aumento na incidência do tipo depressivo.

Quais as principais causas do transtorno esquizoafetivo?

Ainda não há uma conclusão sobre a causa exata dessa doença, porém existem alguns fatores que influenciam no desenvolvimento deste transtorno. São eles:

  • Fatores genéticos;
  • Parentes com esquizofrenia, transtorno esquizoafetivo ou transtorno bipolar;
  • Problemas durante a gestação ou parto;
  • Traumas ou eventos estressantes;
  • Uso de drogas psicoativas ou psicotrópicas.

Principais sintomas do transtorno esquizoafetivo

transtorno esquizoafetivo moca deitada

Conhecer os sintomas do transtorno é fundamental para a identificação do transtorno e a busca por tratamento. Esta doença possui sintomas particulares, são eles: sintomas psicológicos e alterações na cognição e nos comportamentos. Além disso, os sintomas costumam aparecer quando a fase adulta é iniciada.

Sintomas psicológicos

Os sintomas psicológicos mais comuns dessa doença são: alucinações, ansiedade, paranóia, variações de humor, psicose, depressão, e delírios.

Cognição e comportamentos comuns

Quanto à cognição e os comportamentos comuns de um transtorno esquizoafetivo, a pessoa passa a ter pensamentos acelerados e perder o interesse repentinamente nas atividades comuns diárias.

A impulsividade e problemas com o sono também se tornam presentes. Além disso, a pessoa passa a se isolar socialmente, não tem mais o mesmo rendimento no trabalho ou em outras atividades e o  comportamento motor fica comprometido.

Como identificar um transtorno esquizoafetivo?

transtorno esquizoafetivo sintomas

Para identificar um transtorno esquizoafetivo é importante, acima de tudo, identificar os sintomas do transtorno.

Após a identificação dos sintomas, é necessário que o indivíduo com suspeita de possuir o transtorno consulte um médico psiquiatra para que este faça o diagnóstico e providencie o tratamento.

Quais os tipos de transtorno esquizoafetivo?

Atualmente, existe um debate a respeito da classificação do transtorno esquizoafetivo. O Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5) –manual criado pela Associação Americana de Psiquiatria (APA) que serve para padronizar os critérios diagnósticos das doenças e transtornos mentais – diz que o transtorno está classificado em uma categoria diferente da esquizofrenia e do transtorno de humor.

Contudo, não é fácil fechar o diagnóstico para esse transtorno. Isso se deve ao fato de que classificar e delimitar os sintomas diferentes de um transtorno mental para outro é muito difícil.

Já a Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde (CID-10) diz que o transtorno esquizoafetivo pode ser classificado em 3 subtipos. Essa classificação se dá de acordo com a maneira que o transtorno de humor se manifesta no indivíduo. São eles:

  • Transtorno esquizoafetivo do tipo maníaco;
  • Transtorno esquizoafetivo do tipo depressivo;
  • Transtorno esquizoafetivo do tipo misto.

Transtorno esquizoafetivo do tipo maníaco

O transtorno esquizoafetivo do tipo maníaco é diagnosticado quando o paciente apresenta sintomas maníacos proeminentes.

Neste caso, o paciente acaba apresentando sintomas como a euforia ou fala excessiva, pensamento acelerado com fuga de ideias, distração, agitação e perda de controle sobre suas atitudes.

Transtorno esquizoafetivo do tipo depressivo

O transtorno esquizoafetivo do tipo depressivo é diagnosticado quando o paciente apresenta sintomas depressivos proeminentes.

Neste caso, o paciente apresenta sintomas como irritabilidade, humor deprimido ou “triste”, ansiedade, diminuição de energia ou fadiga, inquietação, dificuldade para dormir e acordar, alterações no apetite e peso e outros.

Transtorno esquizoafetivo do tipo misto

O transtorno esquizoafetivo do tipo misto é diagnosticado quando o paciente apresenta tanto sintomas maníacos quanto sintomas depressivos.

Para seu diagnóstico, deve haver ocorrência, no passado, de pelo menos um episódio afetivo maníaco, hipomaníaco ou misto e um episódio atual com presença simultânea de sintomas maníacos e depressivos.

Além disso, uma alternância rápida de sintomas maníacos e depressivos também pode influenciar no diagnóstico.

Como é o tratamento para o transtorno esquizoafetivo?

transtorno esquizoafetivo mulher no sofa

O tratamento dessa doença geralmente é feito com estabilizadores de humor e  medicamentos antipsicóticos.

O tratamento busca uma posição intermediária para controlar os sintomas na fase aguda do transtorno e garantir a sua manutenção, com o propósito de evitar recaídas do paciente.

Após o diagnóstico feito por um médico psiquiatra, o tratamento é iniciado. É importante lembrar que o uso dos medicamentos para o tratamento de transtorno esquizoafetivo só deve ser feito com prescrição médica, pois os medicamentos possuem diversos efeitos colaterais.

Alguns dos medicamentos mais comuns receitados no tratamento do transtorno esquizoafetivo são:

  • Quetiapina.
  • Risperidona.
  • Clozapina.
  • Olanzapina.

A psicoterapia também é muito importante para o tratamento dessa doença. Neste caso, a psicoterapia ajuda na recuperação do paciente e na melhoria da qualidade de vida.

Transtorno esquizoafetivo tem cura?

transtorno esquizoafetivo idosa deitada

Infelizmente, o transtorno esquizoafetivo não tem cura. No entanto, se a pessoa esquizoafetiva for diagnosticada com a doença se mantiver em tratamento pode ter uma rotina normal e maior qualidade de vida.

Ao fazer o tratamento adequadamente, qualquer esquizoafetivo pode ter um  controle parcial ou integral dos seus atos, além de conseguir socializar nelhor, aumentar sua produtividade e manter relacionamentos.

Para garantir melhores resultados no tratamento do transtorno esquizoafetivo existem alguns fatores, como:

  • Início tardio dos sintomas (após os 21 anos);
  • Não ter histórico familiar de psicose;
  • Mais sintomas afetivos em detrimento dos psicóticos;
  • Tratamento consistente e sem pausas;
  • Boa recuperação entre os episódios.

Qual a diferença entre esquizofrenia e transtorno esquizoafetivo?

Algumas pessoas têm dúvidas em relação ao transtorno esquizoafetivo e não sabem a diferença entre ele e a esquizofrenia.

A esquizofrenia e o transtorno esquizoafetivo apresentam sintomas psicóticos, por exemplo, alucinações, movimentos fora do normal ou falas desorganizadas.

Contudo, o transtorno esquizoafetivo possui esses sintomas, mas eles obrigatoriamente  precisam ser acompanhados de outros transtornos de humor.

Logo, no caso do transtorno esquizoafetivo são comuns episódios de psicose. Além disso, no transtorno esquizoafetivo também são recorrentes alterações severas de humor como a depressão ou episódios de mania.

Principais recomendações para quem tem transtorno esquizoafetivo

Quem tem transtorno esquizoafetivo precisa tomar alguns cuidados para adotar uma vida saudável e ajudar na qualidade de vida. Algumas recomendações são:

Evite o uso de álcool

Evitar o uso de álcool é fundamental para o esquizoafetivo, pois o álcool, além de acentuar os sintomas de depressão, também estimula a eliminação de alguns medicamentos do organismo, diminuindo sua eficácia. O consumo de álcool pode atrapalhar o tratamento e piorar os sintomas da doença.

Faça exercício físico regularmente

Fazer exercícios físicos regularmente também é uma recomendação importante. Quem possui transtorno esquizoafetivo possui uma tendência maior para ganho de peso e sedentarismo.

Logo, a prática de exercícios físicos ajuda a manter o físico saudável e na redução da ansiedade, promovendo bem estar ao esquizoafetivo.

Siga uma dieta saudável

Estudos apontam que os alimentos processados colaboram para com o desenvolvimento de transtornos mentais, como manias e esquizofrenia.

Sendo assim, outra recomendação é que o esquizoafetivo siga uma dieta saudável. Em sua dieta devem estar inclusos alimentos naturais e evitar o consumo de alimentos processados.

Atendimento psicoterápico ou psicossocial

Buscar atendimento psicoterápico ou psicossocial em grupos de ajuda mútua também é uma recomendação importante. Buscar por esse atendimento, faz com que o esquizoafetivo sinta que não está sozinho.

Além disso, estes grupos de ajuda mútua oferecem uma oportunidade de desenvolver estratégias para ajudar a lidar da melhor forma com os sintomas do transtorno, além de oferecer apoio e compreensão para aqueles que foram diagnosticados.

Não modifique a medicação por conta própria

Muitos pacientes modificam sua medicação por conta própria por acharem que não está fazendo efeito ou está fazendo mal. No entanto, isso é muito grave.

O recomendado é que o paciente nunca modifique a medicação por conta própria e sempre converse com o médico a respeito para que ele possa ajudar nessa manutenção dos remédios, gerando melhores resultados no tratamento.

Tenha informações fáceis para ajuda emergencial

Emergências podem acontecer eventualmente e é importante ter um plano para que o socorro possa ser facilitado.

Sendo assim, o esquizoafetivo pode montar um plano para ajuda emergencial anotando em um papel o nome e o telefone dos médicos, psicólogos, convênio ou uma pessoa de confiança, por exemplo.

Em casos de emergência, este plano facilita a tomada rápida de decisões, pois entra em contato diretamente com pessoas importantes para o esquizoafetivo, sejam elas médicos responsáveis pelo tratamento ou algum familiar ou amigo que sempre o acompanha.

Como conviver com um esquizoafetivo?

transtorno esquizoafetivo mulher deitada

Conviver com pessoas que possuem algum transtorno mental não é fácil, ainda mais no caso de um transtorno esquizoafetivo que é um transtorno grave quando não tratado.

Contudo, tomando algumas atitudes, a convivência pode ser facilitada e se tornando benéfica tanto para quem possui a doença quanto para quem convive com a pessoa.

Receber apoio e acolhimento de pessoas com quem convive – familiares, amigos ou colegas de trabalho – é muito importante para o esquizo afetivo.

Um esquizoafetivo pode tratar a doença e ter uma rotina normal, podendo ir à escola, faculdade, trabalhar e muito mais. Por este motivo, é muito importante que as pessoas em seu convívio saibam como lidar com quem possui o transtorno.

Informe-se sobre o transtorno esquizoafetivo

Se informar sobre o transtorno esquizoafetivo e entender como ele afeta a pessoa é uma boa atitude a ser tomada. Se informar sobre tudo isso ajuda a combater preconceitos e a tornar o relacionamento com o esquizoafetivo mais simples.

As informações são muito importantes para compreender o esquizoafetivo, conseguir lidar com as situações vividas por ele e ajudá-lo nos momentos difíceis.

Conheça os sintomas

Conhecer os sintomas do transtorno esquizoafetivo também é muito importante para aprender a lidar com estes sintomas e compreender as atitudes da pessoa que possui o transtorno.

Sendo assim, as pessoas próximas podem reconhecer possíveis crises do esquizoafetivo e buscar ajuda médica.

Demonstre apoio e compreensão

É essencial que as pessoas próximas ao esquizoafetivo demonstrem apoio e compreensão a ele. Para o esquizoafetivo é muito difícil lidar com o transtorno e seus sintomas.

Além disso, o esquizoafetivo precisa de muita força e perseverança para se manter firme ao tratamento e compreender as situações pelas quais passa.

Sendo assim, é necessário ter pessoas que o apoiem e o compreendam para que o esquizoafetivo siga em frente e lide com o transtorno.

A pessoa com o transtorno passa por muitos momentos onde fica muito vulnerável e necessita de todo o apoio e compreensão possível para lidar com isso e se sentir acolhida.

Esquizoafetivo pode trabalhar?

Quem possui essa doença pode sim trabalhar. Contudo, é necessário que a pessoa faça o tratamento necessário.

Com o tratamento adequado, o esquizoafetivo pode ser capaz de trabalhar, melhorar seus relacionamentos e evitar recaídas.

O tratamento ajuda muito o esquizoafetivo, pois reduz o isolamento e melhora a qualidade de vida da pessoa, além de ajudar a gerenciar e aprender a lidar com os sintomas da doença.

Isso é fundamental para que o esquizoafetivo possa trabalhar sem que o transtorno atrapalhe seu rendimento.

Como o RH pode contribuir para o bem-estar do esquizoafetivo no trabalho?

Para contribuir para o bem-estar do esquizoafetivo no trabalho, o RH pode investir na prevenção da saúde mental dos colaboradores. Sendo assim, o RH pode dar mais atenção aos seus funcionários e detectar indícios de que algo não vai bem.

Para isso, o RH pode sensibilizar e envolver os gestores, observar sinais de riscos psicossociais relacionados ao ambiente de trabalho, realizar campanhas internas preventivas, encaminhar funcionários expostos a riscos a exame médico e muito mais.

Além disso, investir na terapia ocupacional também é uma boa opção para a prevenção e tratamento das doenças mentais no ambiente de trabalho.

É importante também que o RH compreenda a situação do esquizoafetivo e tenha em mente que ele pode passar por crises e recaídas.

Conscientizar os funcionários a respeito do transtorno e oferecer apoio e compreensão ao funcionário esquizoafetivo também é muito importante.

Conheça a Conexa Corporate

A Conexa Saúde é a maior plataforma de cuidado integrado da América Latina. Além disso, a plataforma conecta pacientes, médicos e instituições de saúde por meio da telemedicina, além de oferecer soluções completas em saúde digital para clínicas, hospitais e empresas.

A Conexa Saúde possui também outras unidades de negócios: a Conexa Corporate, Conexa Operadoras e Docpass. A Conexa Corporate é um produto da Conexa Saúde voltado para empresas.

Este produto oferece soluções e serviços em saúde digital para organizações, independente da localidade, proporcionando saúde e bem-estar para as equipes dessas organizações e ajudando a reduzir custos e otimizar seu negócio. Para conhecer nosso site e ter acesso a outros conteúdos como este, clique aqui.

Conclusão

Podemos concluir que o transtorno esquizoafetivo é uma doença mental que possui tanto sintomas de esquizofrenia quanto alterações de humor. Além disso, não é um transtorno comum e muitas pessoas não sabem como identificá-lo.

Este transtorno afeta principalmente as relações pessoais e seu desempenho no trabalho ou em outras atividades da pessoa que o possui.

O esquizoafetivo pode ter recaídas e crises devido ao transtorno e precisa de tratamento médico, apoio e compreensão daqueles que estão em seu círculo social.

É importante que as pessoas conheçam o transtorno, seus sintomas e como ele afeta as pessoas que sofrem com ele. Assim, é possível criar um ambiente melhor para os esquizoafetivos, sabendo lidar com suas crises e entendendo melhor sua situação.

Compartilhe:

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

conexa saude cta

Nos acompanhe nas redes sociais!

Assuntos do blog

Receba quinzenalmente os melhores conteúdos sobre bem-estar corporativo.

Assine nossa newsletter e tenha acesso aos nossos conteúdos exclusivos!

    Outros posts que você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e acesse o melhor conteúdo sobre bem-estar corporativo!

      Saúde digital, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

      A Conexa Saúde é uma solução completa para a saúde digital da sua empresa, que mostra que bem-estar corporativo pode ser acessível e estratégico. Fale com a gente!