Entenda mais sobre a síndrome de burnout

Estresse, ansiedade, depressão. Sintomas físicos e mentais variados que, a primeira vista não estão relacionados, mas que estão sim conectados. Assim é o Burnout, um esgotamento de origem profissional que, infelizmente, é cada vez mais comum.

Dados da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Anamt) mostram que ele atinge cerca de 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores brasileiros. Por isso vem ganhando espaço nas discussões e pesquisas, dentro e fora das empresas.

Quer saber mais sobre a síndrome? Então, não deixe de ler nosso post de hoje!

Causas

Em estudo recente da Ranstad, publicado pelo Jornal Valor Econômico, mostra que os trabalhadores brasileiros estão mais disponíveis para responder e-mails fora do trabalho.

Mais da metade dos entrevistados (59%) disse que os empregadores esperam por essa disponibilidade fora do expediente; 62% afirmaram que respondem imediatamente, mesmo não estando no escritório e; 42% confessaram que fazem tarefas nas férias. 

Além da pressão da tecnologia no mundo do trabalho há outras causas para esse esgotamento:

  • Excesso de trabalho;
  • Pressão por resultados rápidos;
  • Metas inalcançáveis;
  • Ambiente tóxico no trabalho;
  • Carga horária inflexível;
  • Presenteísmo, entre outros.

Sintomas

Sabe aquela sensação de estar em uma fase ruim, que parece que nada dá certo e isso começa a afetar seu desempenho? Se já é rotina, não é só uma sensação.

Segundo dados do Ministério da Saúde os principais sintomas da doença são:

  • Cansaço físico e mental constante;
  • Dor de cabeça frequente;
  • Alterações de apetite;
  • Insônia;
  • Dificuldade de concentração;
  • Sentimento de derrota e desesperança;
  • Sentimento de incompetência;
  • Alterações repentinas de humor;
  • Isolamento;
  • Fadiga;
  • Pressão alta;
  • Dores musculares;
  • Problemas gastrointestinais;
  • Alteração de batimentos cardíacos.

Prevenção nas empresas

Uma das medidas importantes, não só para evitar o Burnout, mas qualquer transtorno mental nas empresas é investir no clima organizacional.

É preciso criar um ambiente saudável para o trabalhador desenvolver suas atividades. Por isso é necessário o acompanhamento das equipes, observando situações que possam provocar tensão, como influência de líderes negativos, sobrecarga de tarefas, entre outros.

Valorizar o desempenho com promoções também mantém o trabalhador motivado.

Condutas pessoais

Algumas atitudes pessoais podem ajudar o trabalhador a evitar ou lidar com esse quadro tais como:

  • Definir pequenos objetivos pessoais e profissionais;
  • Fazer atividades com amigos e familiares;
  • Fugir da rotina do trabalho com atividades de lazer, como cinema e restaurantes;
  • Evitar contato com pessoas negativas;
  • Fazer alguma atividade física;
  • Manter uma boa alimentação e o sono em dia.

Tratamento

Como não existe uma manifestação clínica específica, o diagnóstico da doença pode demorar, principalmente porque os sintomas geralmente são avaliados isoladamente, o que dificulta a identificação.

Mas o ideal é procurar a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra. Eles podem fazer uma avaliação e indicar o tratamento específico. O SUS inclusive oferece tratamento através da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) de forma gratuita. 

Texto: Luciana Cavalcante

Gostou do nosso post? Quer receber outras dicas em primeira mão? Então, não se esqueça de se inscrever em nossa newsletter e fique por dentro dos próximos artigos! 

Compartilhe:

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

Outros posts que você também pode gostar

Assine nossa newsletter e acesse o melhor conteúdo sobre bem-estar corporativo!

    Saúde digital, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

    A Conexa Saúde é uma solução completa para a saúde digital da sua empresa, que mostra que bem-estar corporativo pode ser acessível e estratégico. Fale com a gente!

    Skip to content