Precisamos falar sobre empatia no trabalho

empatia no trabalho

Esta semana o Instagram ocultou visualizações e curtidas para usuários brasileiros. Sábia decisão para incentivar a produção de conteúdos mais relevantes, pois sabemos o quanto a rede pode ser tóxica.  Rolar o feed e ver pessoas felizes o tempo todo pode afetar o psicológico de algumas pessoas.

Dois dias antes, aos 24 anos, a influenciadora digital carioca Alinne Araújo-que sofria de ansiedade e depressão- se suicidou, após críticas por seguir com a festa de casamento mesmo sendo abandonada pelo noivo.

Reações de haters  como essa mostram total falta de interesse pelo sentimento do outro. Pior: necessidade de polemizar na caça por likes. Mas será que na vida real essa situação é diferente? É preciso discutir a empatia também nas relações de trabalho, já que é o lugar onde passamos a maior parte do nosso dia.

Tendo em vista tal importância, neste artigo vamos explorar algumas atitudes que podem tornar a convivência mais saudável no ambiente de trabalho.

O lugar mais difícil é o lugar do outro

Você com certeza já ouviu falar do conceito de empatia. A capacidade de colocar-se no lugar do outro, além de ser uma atitude altruísta mostra humildade. E isso também se aplica ao trabalho, pois é o lugar onde passamos a maior parte do nosso tempo.

Dentro dessa relação é impossível separar o ser humano do funcionário. Por isso todas as situações que vivemos nesse ambiente refletem tanto na vida pessoal, como profissional e podem abalar a sua saúde mental.

Relações saudáveis no ambiente corporativo

Essa convivência até transforma colegas de trabalho em amigos. Mas de nada adianta sair com o pessoal do escritório para um happy hour e ignorar quando algo não vai bem com o colega. Precisamos estar atentos para mudanças de comportamento, dificuldade de execução de tarefas simples. Oferecer ajuda também é sinal de maturidade profissional.

Olhar humanizado gera empatia no trabalho

É claro que trabalhar com um chefe exigente e pouco aberto ao diálogo não é fácil, mas precisamos lembrar que dentro das relações de trabalho estamos lidando com relações humanas e que o gestor também sofre pressões.

Por isso a prática de tentar ver as situações pelo viés do outro não é dever apenas dos líderes, mas de toda a equipe. Isso garante não só a boa convivência, mas ajuda a criar uma relação de confiança entre os colegas de trabalho e influencia até nos resultados.

Uma palavra pode mudar tudo

Estamos sempre tão atribulados com tantas coisas para resolver, seja na vida pessoal ou profissional, que ficamos num modo automático. Deixamos e olhar para o lado, de nos importar com o outro. Mas uma palavra pode mudar tudo.

Antes de criticar o trabalho do colega, analise o cenário primeiro. Será que estarei ajudando com essa crítica ou vou piorar a situação? Nesse caso vale o ditado sobre as três coisas que não voltam: a flecha lançada, a palavra dita e a oportunidade perdida. Então vamos exercitar a empatia também no ambiente corporativo.

Gostou do post sobre empatia no trabalho? Quer ficar por dentro de outras dicas como essa e garantir a saúde de seus colaboradores? Então, siga nosso Facebook e nosso LinkedIn para acompanhar as novidades! 


Texto: Luciana Cavalcante 

Compartilhe:

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

Outros posts que você também pode gostar

Assine nossa newsletter e acesse o melhor conteúdo sobre bem-estar corporativo!

    Saúde digital, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

    A Conexa Saúde é uma solução completa para a saúde digital da sua empresa, que mostra que bem-estar corporativo pode ser acessível e estratégico. Fale com a gente!

    Skip to content