Dor no peito: causas e quando é preocupante

pessoa com as duas mãos no torax com um sinal vermelho indicando a região do coração

Dor no peito pode variar de leve desconforto a um sinal de problema sério. É importante entender as causas e reconhecer quando é preocupante para sua saúde. Neste texto, vamos falar sobre por que você pode sentir dor no peito, desde problemas simples como indigestão até condições graves como um infarto.

Também vamos abordar os sinais que indicam que você deve procurar ajuda médica imediatamente. Saber desses sinais pode ajudar você a identificar os sintomas e buscar ajuda quando necessário.

O que é considerado uma dor no peito? 

A dor no peito é qualquer tipo de desconforto, pressão, aperto ou dor que ocorre na área do peito, que pode variar em intensidade e duração, podendo se manifestar de diferentes formas, como uma sensação de queimação, pontadas, aperto ou peso no peito.

É preciso ressaltar que nem toda dor no peito está relacionada a problemas cardíacos; na verdade, muitas vezes é causada por condições menos graves, como indigestão, tensão muscular, ansiedade ou inflamação na parede torácica.

Devido à possibilidade de problemas cardíacos sérios, como um infarto, qualquer dor no peito deve ser avaliada por um médico para determinar a causa subjacente e garantir o tratamento adequado, especialmente se estiver acompanhada de sintomas como falta de ar, sudorese, náuseas ou dor irradiada para o braço, pescoço ou mandíbula.

Como avaliar a gravidade da dor no peito 

Avaliar a gravidade da dor no peito é importante, pois pode indicar uma série de condições médicas, algumas das quais podem ser de fato graves. Observar as características dessa dor e alguns outros detalhes, pode, por exemplo, ajudar a identificar se você está ou não tendo um infarto. 

Relacionamos abaixo algumas perguntas objetivas que é preciso ter em mente, para que ao se deparar com essa determinada situação você consiga identificar com mais facilidade.

  • De 0 a 10, qual a intensidade da dor?
    Uma vez que 0 significa ausência de dor e 10 significa a pior dor possível.
  • Qual o tipo de dor sentida?
    Que pode ser desde uma sensação de aperto ou pressão a uma dor aguda, latejante ou queimante.
  • Quando a dor começou?
    Descubra quando a dor no peito começou e se houve algum evento específico que possa tê-la desencadeado.
  • Com que frequência você sente essa dor e se já aconteceu outras vezes?
  • Existem outros sintomas associados?
  • Você tem algum histórico médico relevante?

Como saber se a dor no peito é um infarto? 

Um infarto ocorre quando o fluxo sanguíneo para uma parte do músculo cardíaco é bloqueado, geralmente por um coágulo sanguíneo. Embora a dor no peito seja um sintoma clássico de um ataque cardíaco, nem todas as dores no peito são necessariamente indicativas desse problema.

No entanto, é preciso estar ciente dos sinais que podem sugerir um infarto iminente e não ignorá-los, são eles:

  • Dor no peito intensa e persistente;
  • Dor irradiada;
  • Falta de ar;
  • Náuseas e vômitos;
  • Suor frio;
  • Palpitações;
  • Fraqueza repentina.

É preciso destacar que, se você tiver fatores de risco para doenças cardíacas, como histórico familiar, pressão alta, diabetes, colesterol alto ou uso de cigarro, é necessário estar ainda mais atento aos sinais de um possível infarto e buscar cuidados preventivos regularmente.

Se você ou alguém que você conhece estiver experimentando esses sintomas, uma ambulância precisa ser acionada imediatamente.

O tempo é um dos fatores determinantes quando se trata de um infarto, e receber tratamento médico rápido pode salvar vidas, por isso, não hesite em procurar ajuda médica se estiver preocupado com sua saúde cardíaca.

Quais as causas comuns para dor no peito?

A dor no peito pode se dar por diversos fatores, sendo eles problemas comuns ou até indicar problemas mais graves. Abaixo separamos com mais detalhes alguns desses fatores.

Causas cardíacas

A dor no peito pode ser causada por diversos problemas cardíacos, algumas das principais causas são:

  • Infarto do miocárdio: Ocorre quando uma das artérias coronárias fica bloqueada, impedindo o fornecimento de sangue para uma parte do músculo cardíaco. Seus principais sintomas são: dor no peito intensa e prolongada, falta de ar, náuseas e sudorese.
  • Arritmias cardíacas: São distúrbios do ritmo cardíaco que podem causar palpitações, tonturas e, em alguns casos, dor no peito.
  • Miocardite: É a inflamação do músculo cardíaco (miocárdio). Pode causar dor no peito, especialmente ao respirar profundamente, além de sintomas como febre, fadiga e falta de ar.

Causas gastrointestinais 

Problemas gastrointestinais também podem ser uma causa comum para dor no peito. Algumas doenças relacionadas são:

  • Refluxo gastroesofágico (DRGE): É uma condição na qual o ácido do estômago volta para o esôfago, causando uma sensação de queimação no peito (azia), tratando-se do principal sintoma. A dor muitas vezes é sentida atrás do esterno e pode se intensificar após as refeições.
  • Pancreatite: A inflamação do pâncreas pode causar dor abdominal superior que irradia para o peito. Sintomas como náuseas e vômito, febre, batimentos cardíacos acelerados, entre outros, podem se fazer presentes.
  • Inflamação do esôfago (esofagite): Regurgitação ácida, azia, dor para engolir, são sintomas presentes na esofagite, que se trata da inflamação do revestimento do esôfago, muitas vezes causada pelo refluxo ácido crônico, pode causar dor no peito.

Causas ósseas e musculares

A dor no peito também pode ter origem em problemas ósseos e musculares, incluindo:

  • Artrite: Condições como artrite reumatoide, osteoartrite ou espondilite anquilosante podem afetar as articulações da coluna vertebral e das costelas, levando a dores no peito. Sintomas que precisam ser levados em consideração é febre e mal-estar geral, fadiga, inchaço articular, dores e rigidez articular;
  • Distúrbios musculares: Condições como fibromialgia, que afeta a sensibilidade e o funcionamento dos músculos, podem causar dor generalizada, incluindo no peito, além de, fadiga muscular, inchaço ou edemas, fraqueza e atrofia muscular, entre outros.
  • Doenças da coluna vertebral: Problemas na coluna vertebral, como hérnias de disco ou compressão de nervos, podem causar dor no peito irradiada devido à inflamação ou compressão dos nervos espinhais. Seus principais sintomas são 

Causas pulmonares

Problemas pulmonares também são causas comuns para dores no peito. Exemplos incluem:

  • Asma: Em pessoas com asma, uma condição crônica que causa inflamação e estreitamento das vias respiratórias, as crises de asma podem causar dor no peito devido à dificuldade em respirar. Por isso, atenção aos principais sintomas: falta de ar, dificuldades para respirar, tosse, aperto e/ou chiado no peito
  • Câncer de pulmão: O câncer de pulmão que tem como sintomas falta de ar, tosse persistente ou até mesmo com sangue (hemoptise), rouquidão e outros, pode causar dores no peito devido ao crescimento do tumor nos pulmões ou à disseminação do câncer para estruturas adjacentes, como a parede torácica.
  • Derrame pleural: O acúmulo anormal de líquido entre a pleura pode causar dor no peito, juntamente com falta de ar e tosse.
  • Pneumonia: A pneumonia é uma infecção nos pulmões que pode causar dor no peito devido à inflamação dos tecidos pulmonares afetados. A dor geralmente é aguda e pode piorar ao tossir ou respirar profundamente. Seus sintomas podem incluir febre, falta de ar, calafrios,respiração rápida e superficial, confusão mental e outros.

Crise de ansiedade 

Durante uma crise de ansiedade, o corpo experimenta uma resposta física intensa ao estresse, e isso pode levar a uma série de sintomas físicos, incluindo dores no peito, que podem ser descritas de diversas maneiras como, sensação de aperto, pressão, queimação ou até pontadas.

As dores no peito durante uma crise de ansiedade podem ser preocupantes para a pessoa que está vivendo aquele momento, pois podem ser confundidas com sintomas de problemas cardíacos, como um ataque cardíaco.

No entanto, é importante notar que na maioria dos casos as dores no peito durante esse momento não estão relacionadas a problemas cardíacos, mas sim à resposta física do corpo ao estresse agudo.

Como é feito o diagnóstico de dor no peito?

Diagnosticar dores no peito não é simples e exige muita atenção dos profissionais. Essa condição pode ser sintoma de diversos problemas de saúde, alguns graves.

O processo de diagnóstico começa geralmente com uma história clínica detalhada, onde o médico investiga os sintomas, histórico médico, fatores de risco e possíveis desencadeadores.

Em seguida, é feito um exame físico minucioso para avaliar sinais vitais, como pressão arterial, pulso, e ausculta dos pulmões e do coração. Além disso, podem ser solicitados exames complementares, como eletrocardiograma (ECG) para registrar a atividade elétrica do coração, e exames de imagem, como radiografia de tórax e ecocardiograma, para avaliar a estrutura e função do coração e dos pulmões.

Dependendo dos resultados, podem ser necessários testes mais específicos, como cintilografia miocárdica ou angiografia coronariana, para avaliar a saúde cardiovascular.

É importante destacar que o diagnóstico muitas vezes requer uma equipe multidisciplinar, com médicos de diferentes especialidades, como cardiologistas, pneumologistas e gastroenterologistas.

O objetivo é identificar a causa da dor no peito de forma precisa e rápida para iniciar o tratamento adequado o mais cedo possível, reduzindo o risco de complicações e melhorando o prognóstico do paciente.

Quando devo ir ao médico investigar a dor no peito?

Caso esteja sentindo dores no peito e identificar que ela se intensifica, é preciso buscar atendimento médico imediatamente, especialmente se a dor for intensa, prolongada ou acompanhada de outros sintomas preocupantes, como falta de ar, sudorese, náuseas, vômitos, tonturas ou palpitações cardíacas.

Esses sinais podem indicar uma condição médica séria, como um infarto, embolia pulmonar ou outras doenças cardiovasculares graves. No entanto, mesmo que a dor no peito pareça leve ou intermitente, ainda é importante consultar um médico para avaliação, pois pode ser um sinal de alerta precoce de problemas de saúde subjacentes.

Como é feito o tratamento para dor no peito?

O tratamento para dor no peito irá variar de acordo com as causas subjacentes da condição. Se o motivo de sentir a dor seja por origem cardíaca, o tratamento de emergência pode incluir medicamentos para diluir o sangue, abrir as artérias obstruídas e reduzir a carga sobre o coração.

Além disso, procedimentos como angioplastia coronariana e cirurgia de bypass podem ser necessários para restaurar o fluxo sanguíneo adequado ao coração. Para outras condições cardíacas, como angina de peito, medicamentos para controlar a pressão arterial, reduzir o colesterol e prevenir a formação de coágulos sanguíneos podem ser prescritos.

Já, em caso de dores por origem respiratória, como pneumonia ou embolia pulmonar, o tratamento pode envolver antibióticos, anticoagulantes e terapia respiratória, além de medidas para manter a oxigenação adequada.

Em caso de dores no peito por distúrbios digestivos, como azia ou refluxo gastroesofágico, os medicamentos recomendados são para reduzir a produção de ácido estomacal, além de mudanças no estilo de vida, como dieta e evitar alimentos desencadeantes.

É preciso deixar claro que o tratamento para dor no peito deve ser individualizado, levando em consideração a causa específica da dor, bem como as condições médicas preexistentes do paciente.

Como posso evitar sentir dores no peito?

Para começar, o ideal é adotar um estilo de vida mais saudável, com uma dieta equilibrada, rica em frutas, vegetais, grãos integrais e proteínas magras, evitando alimentos processados e ricos em gordura saturada e colesterol.

Praticar exercícios físicos também é algo que precisa estar na lista de hábitos de saúde. Eles não ajudarão apenas com a prevenção das dores no peito, mas também em diversas outras áreas da sua saúde, tanto física, como mental, auxiliando no controle do estresse.

Outro fator que é preciso ter muita atenção, é com o excesso de peso, uma vez que está associado a um maior risco de doenças cardíacas. Faça exame médico regularmente e tenha ciência dos seus fatores de riscos para doenças cardíacas. 

Seguir essas recomendações pode ajudar a reduzir o risco de desenvolver dor no peito e promover uma vida saudável e ativa.

Na Conexa Saúde, você pode fazer seu acompanhamento de saúde do conforto da sua casa, com uma equipe médica especializada e que irá lhe auxiliar no que for possível.

Créditos da imagem: stevanovicigor em iStock


Compartilhe:

LinkedIn
WhatsApp
Facebook
Twitter
Email

Deixe um comentário

Pesquisar

Nos acompanhe nas redes sociais!

Assuntos do blog

Receba quinzenalmente os melhores conteúdos sobre bem-estar corporativo.

Assine nossa newsletter e tenha acesso aos nossos conteúdos exclusivos!

    Outros posts que você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e acesse o melhor conteúdo sobre bem-estar corporativo!

      Saúde digital, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

      A Conexa Saúde é uma solução completa para a saúde digital da sua empresa, que mostra que bem-estar corporativo pode ser acessível e estratégico. Fale com a gente!