Crise de ansiedade? Sintomas, tratamentos e como lidar no trabalho

ansiedade homem cabeca baixa

Ansiedade é um termo que se refere a uma série de distúrbios que provocam medo, apreensão, preocupação, entre outros sintomas. Nesse sentido, a ansiedade é uma reação que pode ser desencadeada ao enfrentar algumas situações do dia a dia, como a necessidade de falar em público, fazer uma prova importante ou participar de uma entrevista de emprego, por exemplo. Mas não é simplesmente por ter ansiedade que podemos dizer que se tem uma crise de ansiedade.

Existem algumas pessoas que têm essas reações de forma muito intensa e quase diária.Sendo assim, pode ser considerado uma patologia que prejudica tanto a sua saúde física, quanto a emocional. Aí sim é caracterizada a crise.

Por isso, fizemos este artigo para informar os principais sintomas das crises de ansiedade, as formas de tratamento e como elas podem afetar no trabalho.

Se você é uma pessoa que sofre com crises de ansiedade, ou conhece pessoas que sofrem, não pode perder este artigo.

Por isso, boa leitura!

O que é a crise de ansiedade?

ansiedade terapia

É extremamente normal a gente se sentir ansioso em algumas situações no nosso dia a dia, por exemplo, quando estamos nos preparando para apresentar um trabalho muito importante na faculdade.

Porém, quando essa ansiedade se transforma em algo frequente, chegando até mesmo a atrapalhar suas atividades diárias, a ansiedade começa a ser considerada um transtorno.

E um dado preocupante é que aproximadamente 20 milhões de brasileiros sofrem com algum tipo de transtorno de ansiedade.

Esses quadros, na maioria das vezes, aparecem na infância ou na adolescência, entretanto, algumas pessoas desenvolvem crises de ansiedade na fase adulta.

O transtorno de ansiedade generalizada (TAG), pode inclusive ser considerado uma doença, que compromete a saúde física e emocional das pessoas.

Muitas vezes elas desenvolvem esses quadros devido às preocupações que elas têm, porém, tais preocupações chegam a níveis alarmantes.

Dessa forma, quando essa sensação de medo domina a mente da pessoa, ela acaba gerando gatilhos, gerando assim uma crise de ansiedade, ataque de ansiedade e até ataque de pânico.

Ou seja, a crise de ansiedade é uma sensação muito grande de insegurança, medo e descontrole emocional, que pode até mesmo atacar a saúde física da pessoa.

Pois, ela é como um curto-circuito no corpo e na mente o qual causa uma descarga de noradrenalina e adrenalina por todo o organismo.

E, tais substâncias juntamente com outros processos, provocam as manifestações físicas da crise de ansiedade, que tem uma duração de poucos minutos e são muito intensas.

Diferença entre crise de ansiedade e crise do pânico

Para muitas pessoas, a crise de ansiedade e a crise de pânico são a mesma coisa.

Porém isso não é verdade, existindo várias diferenças entre elas, que vai da causa de ambas até a intensidade e frequência que elas podem ter.

Por isso é extremamente importante que você saiba diferenciar cada uma para que, em um momento de crise, saber qual a conduta certa a seguir.

Assim, é muito importante que a pessoa que está sofrendo com essas crises procure um médico para poder ter o diagnóstico correto o  mais rápido possível.

Nesse sentido, a ansiedade tem como característica uma preocupação excessiva constante e que a pessoa não consegue controlar facilmente.

Tal preocupação é constante em seu dia a dia, durante um período de pelo menos 6 meses ou mais, junto com sintomas físicos e psicológicos.

Já a crise de pânico é caracterizada como episódios súbitos e muito intensos de medo e que causam várias  reações físicas que começam de forma muito brusca.

Quais são os sintomas da crise de ansiedade?

ansiedade terapeuta

Como visto anteriormente, a crise de ansiedade  tem como característica uma preocupação excessiva constante e que a pessoa não consegue controlar facilmente, por um período de pelo menos 6 meses.

E, quando isso acontece, outros sintomas também começam a ser percebidos.

Entre tais sintomas, estão:

  • Palpitação, coração pulsando forte ou acelerado;
  • Sensação de garganta fechada;
  • Suor;
  • Tremores;
  • Falta de ar;
  • Sensação de desmaio;
  • Náusea ou desconforto abdominal;
  • Formigamentos;
  • Dor ou desconforto no peito;
  • Calafrios e sensação de calor;
  • Sentimentos de irrealidade;
  • Sensação de afogamento ou sufocação;
  • Despersonalização (sentir-se fora de si mesmo);
  • Medo de perder o controle ou enlouquecer;
  • Medo de morrer.

Esses sintomas, como visto, acontecem várias vezes em pessoas que possuem histórico de ansiedade ou pânico.

Várias vezes, esses sintomas são associados ao transtorno agorafobia, e podem surgir devido a situações específicas de muito estresse e momentos traumáticos.

Ou seja, eles surgem quando a pessoa está em algum lugar com muito movimento, ou então um espaço pequeno, em frente ao público, etc..

Muitas vezes, as crises de ansiedade chegam sem nenhum aviso prévio, sendo somente uma consequência do transtorno de ansiedade generalizada, como uma forma de descarregar as emoções que a pessoa acumulou.

Em média 70% dos casos de crise de ansiedade surgem em pessoas com depressão, levando ela a outros transtornos, como a síndrome do pânico ou o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).

Ou seja, a crise de ansiedade não pode, em hipótese alguma, ser considerada uma frescura, pois a pessoa que sofre com ela precisa de um tratamento para não desenvolver outros problemas.

Como diferenciar os sintomas da crise de ansiedade do infarto?

A crise de ansiedade geralmente é causada por algum gatilho estressante, e, como nossa rotina geralmente é muito intensa, diversas pessoas estão predispostas a sofrer uma crise.

E, como visto, seus sintomas podem ser emocionais e físicos e duram  poucos minutos, e quando  a crise chega ao seu ápice, a pessoa pode sentir dor no peito e na cabeça, tremedeira, suor e náuseas.

Já o infarto é causado devido ao entupimento das artérias que irrigam o coração impedindo assim  que o sangue circule no organismo, causando o ataque cardíaco.

Os principais sintomas do infarto são parecidos com os de uma crise de ansiedade, como dor no peito, podendo irradiar para os membros superiores, suor frio, falta de ar e náusea.

Assim, para diferenciar uma crise de pânico de um infarto você precisa:

  • Verificar se há indícios de um gatilho emocional;
  • Analisar o tipo da dor no peito;
  • Observar a respiração;
  • Ter cuidado com acessos de tosse;
  • Ficar atenta a fugas da realidade ou medos irracionais.

Qual é a causa da crise de ansiedade?

ansiedade mulher sofa

Não há uma causa específica para que a pessoa tenha uma crise de ansiedade.

Normalmente, tais crises acontecem em indivíduos que sofreram algum tipo de trauma psicológico ou então estão passando por algum momento de grande tensão e estresse.

Porém, algumas questões genéticas também podem influenciar nas crises de ansiedade.

É importante destacar que os motivos, também chamados de “gatilhos” para essas crises mudam de pessoa para pessoa, e saber identificar essas causas é fundamental para saber qual o tratamento adequado.

Como saber se estou tendo uma crise de ansiedade?

Durante uma crise de ansiedade seu corpo fica em estado de alerta, o que causa uma descarga de noradrenalina e adrenalina.

Dessa forma, o medo e a insegurança tomam conta da pessoa.

Nesse momento, é como entrar em uma briga com você mesmo, pois, você tenta melhorar os seus pensamentos porém a sensação negativa que está sentindo toma conta do seu emocional.

A crise de pânico pode acontecer em várias situações, entretanto, em pessoas que possuem algum transtorno, como a agorafobia , passam por essas crises com mais frequência.

Dessa forma, para saber se você está passando por uma crise de ansiedade observe:

  • Você sente um medo extremo e súbito;
  • Seu coração dispara;
  • Você fica enjoado;
  • Você é subitamente tomado pela raiva;
  • Você sente que vai desmaiar;
  • Você acredita que pode morrer;
  • Você se afasta da situação;
  • Seus pensamentos ficam descompassados.

Assim, se você teve alguma dessas sensações, provavelmente você está passando por uma crise de ansiedade.

Quanto tempo demora a passar uma crise de ansiedade?

ansiedade mulher indecisa

O tempo de duração de uma crise de ansiedade muda de pessoa para pessoa, e o pico da  ansiedade pode durar cerca de 40 minutos, entretanto, o mal-estar continua depois desse período.

Além disso, as pessoas que têm crises de ansiedade normalmente têm episódios recorrentes, podendo durar um período de pelo menos 6 meses.

Se você tem crises de ansiedade de forma recorrente, o recomendado é que você procure atendimento médico especializado para começar o tratamento o mais rápido possível.

O quê fazer quando se tem uma crise de ansiedade?

O que fazer quando se tem uma crise de ansiedade depende muito da intensidade dessa crise, a sua frequência bem como os sintomas.

O recomendado é que você procure um médico especializado para que ele possa dizer o que precisa ser feito, e passar o tratamento correto.

Como controlar a ansiedade

Primeiramente, para você tentar controlar a ansiedade é recomendado que procure um médico especializado para ele passar o tratamento correto.

Entretanto, você pode seguir as seguintes dicas para conseguir controlar uma crise de ansiedade:

  • Respire de forma lenta;
  • Beba um chá calmante, como chá de camomila;
  • Extravasa suas emoções, ou seja, grite, chore, ou então desabafe com alguém de confiança;
  • Descanse mente, ou seja, não fique mexendo em celular, computador ou vendo televisão;
  • Faça alguma atividade física que você goste;
  • Tome os medicamentos recomendados por seu psiquiatra.

Essas dicas são importantes para você conseguir se colocar no controle de suas próprias emoções, para, dessa forma, conseguir controlar a ansiedade.

Quais são os tipos de ansiedade?

ansiedade mulher mao boca

Existem vários tipos de transtorno de ansiedade, que é mais conhecido como ansiedade, e que mudam conforme o motivo que gerou a preocupação.

Assim, os principais tipos de ansiedade são:

  • Transtorno de ansiedade generalizada: que começa devido a alguma razão específica, devido às situações vividas no dia a dia, e pode durar por mais de 6 meses;
  • Transtorno de pânico: é caracterizado por surtos de medo espontâneos e recorrentes que duram alguns minutos;
  • Transtorno de ansiedade de separação: acontece geralmente em crianças com menos de 12 anos e tem como característica o medo excessivo de ficar longe dos pais;
  • Mutismo seletivo:  esse é um tipo muito raro de ansiedade, que também acontece na infância fazendo a criança não conseguir falar com outras pessoas fora de sua casa;
  • Fobia social: é o medo de ter relações sociais, geralmente pelo receio de ser julgado;
  • Agorafobia: é o medo de ficar sozinho em locais públicos;
  • Transtorno de estresse pós-traumático: surge quando a pessoa passa por alguma situação muito traumática, por exemplo, quando sofre um acidente de carro.

Existe algum teste para identificar a crise de ansiedade?

Sim, existe o questionário DASS-21 (Depression, Anxiety and Stress Scale), que consiste em um teste para saber se a pessoa tem  depressão, ansiedade e estresse.

Esse teste consegue medir os níveis de cada um desses transtornos devido a avaliação do comportamento e das sensações que a pessoa teve nos últimos sete dias.

Esse teste possui 21 perguntas e leva aproximadamente de 3 minutos para ser respondido.

Crise de ansiedade no ambiente de trabalho

ansiedade homem pensativo

Existem diversas situações no ambiente de trabalho que podem desencadear uma crise de ansiedade.

Isso porque, em um local de trabalho onde há cobranças exageradas; prazos apertados; sobrecarga de trabalho; pressão psicológica e até ausência ou feedback negativo podem ser gatilhos para que a pessoa tenha alguma crise.

É importante que se saiba que um ambiente de trabalho muito tóxico, além da crise de ansiedade, também pode gerar depressão e outros transtornos psicológicos.

O quê fazer quando a ansiedade ataca no trabalho?

Quando uma pessoa tem crise de ansiedade no trabalho, é fundamental que os seus colegas tenham empatia com ela.

Ou seja, o trabalhador não pode se sentir com vergonha por estar passando por uma crise de ansiedade, pois isso não é culpa dele.

É uma doença, e, como todas as outras, tem dias que ela está mais difícil, e exatamente nesses dias essa pessoa precisa se sentir acolhida.

Por isso, é fundamental que a empresa tenha uma rede de comunicação sólida e genuína, para que sempre que notar que algum colega está passando por uma crise de ansiedade, tentar ajudá-lo.

Quem tem crise de ansiedade pode trabalhar?

A pessoa que tem crise de ansiedade de forma leve a moderada pode sim desenvolver suas atividades laborais.

Entretanto, existem aquelas pessoas que a ansiedade está em um estágio tão avançado que ela começa a ter complicações, e isso as impede de trabalhar.

Isso porque, dependendo do grau da ansiedade, a pessoa apresenta limitações físicas como paralisia temporária, palpitação, falta de ar, entre outros.

Dessa forma, a pessoa com esse grau severo de ansiedade geralmente é afastada do trabalho para conseguir se tratar, e nesse período ela recebe o auxílio-doença, que é concedido para quem está incapacitado de trabalhar.

Ou seja, esse auxílio não é pela ansiedade em si, mas pelo que ela causou na pessoa, deixando ela incapacitada para o trabalho.

Quem tem transtorno de ansiedade pode se aposentar?

Sim, entretanto o que vai determinar exatamente se a pessoa irá receber o auxílio doença ou se aposentar por invalidez, é seu diagnóstico.

Ou seja, se no diagnóstico ficar comprovado que a incapacidade para o trabalho é temporária, é provável que o benefício seja o auxílio-doença.

Entretanto, se a doença persistir, e a incapacidade ficar permanente, o benefício poderá ser aposentadoria por invalidez.

Entretanto, em muitos casos o pedido de aposentadoria é negado pelo fato de que o médico, no momento da perícia no INSS, não considera o transtorno psicológico como uma causa de incapacidade para o trabalho.

Assim, é preciso que você prove  que as consequências sofridas são incapacitantes e que não tem condição de trabalhar.

Isso pode ser provado com receitas médicas, laudo médico, entre outros documentos.

Como ajudar o funcionário com crise de ansiedade?

A ansiedade no ambiente de trabalho pode ser causada tanto por gatilhos internos como externos.

Em grande parte dos casos, é normal que a crise de ansiedade seja causada por questões internas, como excesso de responsabilidades e metas inatingíveis.

Dessa forma, é importante que o empregador crie um ambiente corporativo mais saudável e priorize o bem-estar das pessoas.

Para isso acontecer, a empresa pode implementar as seguintes idéias:

  • Criar uma cultura organizacional voltada para saúde mental;
  • Orientar as lideranças;
  • Fazer um RH aberto e comunicativo sobre o assunto;
  • Desmistificar os temas relacionados à saúde mental;
  • Criar um programa de qualidade de vida no trabalho;
  • Oferecer a psicoterapia como um benefício corporativo.

Conclusão

ansiedade homem mao cabeca

Como visto neste artigo, a crise de ansiedade é um problema muito sério que pode desencadear muitos transtornos na vida da pessoa que sofre desse problema.

Por isso, é extremamente importante que nos primeiros sintomas de crise de ansiedade, depressão, entre outros transtornos psicológicos, você procure ajuda de um médico especializado.

Pois, somente assim você irá conseguir superar esse problema e não desenvolver algo mais grave.

Se cuide!

Compartilhe:

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

conexa saude cta

Nos acompanhe nas redes sociais!

Assuntos do blog

Receba quinzenalmente os melhores conteúdos sobre bem-estar corporativo.

Assine nossa newsletter e tenha acesso aos nossos conteúdos exclusivos!

    Outros posts que você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e acesse o melhor conteúdo sobre bem-estar corporativo!

      Saúde digital, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

      A Conexa Saúde é uma solução completa para a saúde digital da sua empresa, que mostra que bem-estar corporativo pode ser acessível e estratégico. Fale com a gente!

      [GUIA PRÁTICO]
      [GUIA PRÁTICO]