A atual regulamentação da telemedicina no Brasil e tendências futuras

Qual é a atual regulamentação da telemedicina no Brasil e o que esperar após a pandemia?

Saber como está a regulamentação da telemedicina no Brasil é um passo importante para entender como funciona essa forma de atendimento. Além disso, o acesso à saúde via internet possui diversas vantagens clínicas e econômicas.

Por isso, vamos conversar sobre as principais características dessa tecnologia, e como esse serviço cresceu exponencialmente após a pandemia da Covid-19 e o que esperar nos próximos anos.

Então, continue a leitura e entenda tudo sobre as diretrizes para telemedicina no país!

Afinal, o que é a telemedicina?

Em resumo, a telemedicina (ou telessaúde) é a integração da tecnologia nos procedimentos de saúde, que permite o atendimento online. Nesse sentido, a ferramenta quebra barreiras geográficas para aumentar o alcance de um auxílio médico de qualidade.

Atualmente, existem diversos serviços de telemedicina que vão desde a teleconsulta até o monitoramento de pacientes de forma virtual e segura.

Além disso, a telemedicina também otimiza o tratamento de pacientes, e até mesmo cirurgias. Tudo isso é possível através de tecnologias de ponta para videoconferências de qualidade.

Como está a regulamentação da telemedicina no Brasil?

Em 2020, a pandemia da Covid-19 adiantou a aprovação da Lei nº 13.989, que hoje regulamenta a telemedicina aqui no Brasil. E, pelo jeito, ela veio para ficar.

Nesse sentido, é preciso informar ao público sobre como funciona essa modalidade. Algumas das principais necessidades de comunicação estão em quais são os serviços disponíveis, como saber quais clínicas são confiáveis e como funciona o armazenamento de dados, por exemplo.

Hoje já temos diversas as plataformas de telessaúde no mercado, não apenas brasileiro, mas em escala global. Em geral, as ferramentas são compatíveis com grande parte dos dispositivos, além de serem amigáveis tanto para o paciente, quando para o profissional da saúde.

Ao mesmo tempo, é importante que a plataforma tenha diferentes formas de proteção aos dados pessoais e sensíveis. Sendo assim, elas precisam sempre acompanhar o que diz a Lei Geral de Proteção de Dados.

Outro ponto importante é que os atendimentos digitais seguem algumas das mesmas diretrizes que os atendimentos presenciais. Entre elas, temos o sigilo entre médico e paciente e a atenção genuína durante os procedimento para oferecer o melhor tratamento.

O que esperar da telemedicina após a pandemia?

Apesar de ainda estar muito crítica, a pandemia do SARS-COVID 19 tende a diminuir a intensidade com a vacinação geral da população, além de outras medidas preventivas. Mas isso não irá reduzir a importância da telemedicina.

Afinal, as facilidades que essa modalidade trouxe impactou grande parte da população, inclusive pessoas com comorbidades e idosos. Sendo assim, as facilidades e a praticidade da telessaúde continuará presente em nossa rotina, cada dia mais.

A regulamentação da telemedicina veio pela necessidade, mas acabou impactando também na qualidade do atendimento médico da população. Por outro lado, além da oficialização pelos órgãos fiscalizadores, também é importante conscientizar a população, e comunicar as vantagens desse serviço.

Ficou interessado na telemedicina? Então, não deixe de fazer um teste gratuito em nossa plataforma e veja as funcionalidades do sistema!

Compartilhe:

Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

Deixe um comentário

Outros posts que você também pode gostar

Assine nossa newsletter e acesse o melhor conteúdo sobre bem-estar corporativo!

    Saúde digital, bem-estar e inovação que seu colaborador precisa

    A Conexa Saúde é uma solução completa para a saúde digital da sua empresa, que mostra que bem-estar corporativo pode ser acessível e estratégico. Fale com a gente!

    Skip to content